‘Tosca’ se despede do 22º FAO, com teatro lotado

Na noite do último domingo (19/05), “Tosca” se despediu do 22º Festival Amazonas de Ópera (FAO), em mais uma récita com ingressos esgotados. Na plateia, pessoas de todas as idades, comprovando a constante renovação do público do evento.

O FAO é realizado pelo Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Cultura (SEC), com patrocínio master do Bradesco, por meio da Lei de Incentivo à Cultura, Ministério da Cidadania e Secretaria Especial de Cultura. A abertura foi no dia 26 de abril, e o evento segue com apresentações de ópera, recitais e concertos até 30 de maio.

Olga Urbax, de 15 anos, assistiu pela segunda vez à ópera de Giacomo Puccini. “Gosto de ópera, acho muito interessante. Venho sempre, e essa é a segunda vez que estou assistindo a ‘Tosca’. Fico impressionada com o fôlego dos solistas”, disse a estudante, que estava acompanhada pela mãe, Minéia.

Rayka Ádria, 12 anos, também já é habitué do FAO. O gosto pela música erudita foi incentivado pela mãe. “Venho desde pequena com minha mãe. É muito interessante assistir, é sempre diferente. ‘Tosca’ foi a primeira ópera a que assisti esse ano. Gostei muito”, afirmou.

“Trago a Rayka desde que ela tinha 5 anos. No início, vim por curiosidade, mas começamos a frequentar, conhecemos melhor e aprendemos a gostar”, comentou Deybe Mustafa, mãe da estudante. “Agora, marcamos presença sempre no festival e em outras programações culturais do teatro, como nos concertos da Orquestra de Violões”, pontuou.

Cumprindo compromisso profissional em Manaus, o ex-judoca e apresentador Flávio Canto aproveitou a passagem pela cidade para conhecer o Teatro Amazonas e assistir, pela primeira vez, à ópera “Tosca”. “Estou maravilhado. O teatro é lindo e a produção desse festival é de deixar qualquer um de queixo caído. Achei realmente incrível”, disse.

A obra – Encenada em duas edições do FAO (a primeira foi em 1998), “Tosca”, de Giacomo Puccini, é baseada em uma peça do dramaturgo francês Victorien Sardou, de 1887. O enredo narra a trama da célebre cantora de ópera Floria Tosca; do pintor Mario Caravadossi; e do chefe de polícia Baron Scarpia. A ação se passa em 1800, quando a Itália era ameaçada pela invasão do exército de Napoleão Bonaparte.

Caravadossi (Fernando Portari) e Tosca (Daniella Carvalho) estão apaixonados, porém o pintor é simpatizante de Napoleão e é perseguido por Scarpia (Rodrigo Esteves), que é obcecado pela cantora de ópera – criando assim o cenário para uma tragédia.

“Tosca” foi apresentada pela Amazonas Filarmônica, Coral do Amazonas e Coral Infantil do Liceu de Artes e Ofícios Claudio Santoro. O espetáculo tem direção musical e regência de Luiz Fernando Malheiro; direção cênica de Jorge Takla; cenários de Nicólas Boni; figurinos de Pablo Ramirez; e desenho de luz por Fábio Retti.

Próximas estreias – No próximo fim de semana, a programação do FAO será intensa, com as duas últimas estreias desta edição: “Mater Dolorosa”, um Laboratório de Ópera Barroca baseado na cantata “Stabat Mater Dolorosa”, de Giovanni Pergolesi, a ser apresentado no sábado (25/05), às 20h; e “Alma”, de Claudio Santoro, no domingo (26/05), às 19h.

Ainda no domingo (26/05), pela manhã, acontecerá o encontro “Os Teatros de Ópera e a Economia Criativa na América Latina”, no Centro Cultural Palácio da Justiça.

Sobre o 22º FAO – Em 2019, o FAO celebra o centenário de nascimento de Claudio Santoro com a apresentação da ópera “Alma”, do compositor e maestro amazonense. Também estão na programação “Ernani”, de Giuseppe Verdi; “Maria Stuarda”, de Gaetano Donizetti; “Tosca”, de Giacomo Puccini; e “Mater Dolorosa”, baseada na cantata “Stabat Mater Dolorosa”, de Giovanni Pergolesi.

Os ingressos para o FAO 2019 estão à venda na bilheteria do Teatro Amazonas e pelo site Bilheteria Digital (www.bilheteriadigital.com/teatroamazonas), com valores que vão de R$ 2,50 a R$ 60.

A programação do festival abrange ainda o Recital Bradesco, com canções compostas por Claudio Santoro; o projeto “Ópera Mirim”; o encontro “Os Teatros de Ópera e a Economia Criativa na América Latina”, voltado para apresentar dados e casos de sucesso sobre a Indústria da Ópera na América Latina; o concerto do Dia das Mães, já realizado; e Mulheres da Ópera.

Sobre o Bradesco Cultura – Com centenas de projetos patrocinados anualmente, o Bradesco acredita que a cultura é um agente transformador da sociedade. O Banco apoia iniciativas que contribuem para a sustentabilidade de manifestações culturais que acontecem de norte a sul do país, reforçando o seu compromisso com a democratização da arte.

São eventos regionais, feiras, exposições, centros culturais, orquestras, musicais e muitos outros, além do Teatro Bradesco em São Paulo. Fazem parte do calendário 2019 atrações como o musical “O Fantasma da Ópera” e o Natal do Bradesco, em Curitiba.

Para mais informações sobre essas e outras ações, projetos e atividades desenvolvidas pela Secretaria de Estado de Cultura, acesse o Portal da Cultura (www.cultura.am.gov.br). Confira também os perfis do órgão no Facebook, Twitter e Instagram – culturadoam.

FOTOS: Michael Dantas/SEC

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA