Sem êxito em negociações salariais, vigilantes de Manaus votam greve nesta sexta (8)

Profissionais filiados ao Sindicato dos Empregados em Empresas de Vigilância e Segurança de Manaus (Sindevam) realizam, nesta sexta-feira (8), assembleia geral extraordinária para aprovar uma greve de 30% da categoria. Caso aprovada, a paralisação prevista para iniciar na próxima quinta-feira (14) afetaria o funcionamento das agências bancárias e do aeroporto da capital, além de fábricas do Polo Industrial.

Segundo o presidente do Sindevam, Valderli Bernardo, os vigilantes estudam a greve após não ter sucesso nas negociações salariais da classe com o sindicato patronal.

“Nós aprovamos em novembro a pauta de reivindicação da campanha salarial e encaminhamos para o sindicato patronal em dezembro. Nós tivemos quatro rodadas de negociação em janeiro e os empresários disseram que não dava para atender nosso pleito. É evidente que em uma negociação o pleito nunca é atendido totalmente, mas, na questão salarial, eles disseram que não tinham como aumentar além do INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor)”, afirma Valderli.

O INPC mede a variação dos preços no mercado varejista, mostrando o aumento do custo de vida da população. O índice fechou o acumulado de 2018 em 3,43% e o Sindevam pediu inicialmente 15% de reajuste salarial.

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA